Videos preferidos do dia

Loading...

Pesquisar este blog

domingo, 26 de outubro de 2014

O GIGANTE NÃO ACORDOU!!!

Bom dia, não sou de postar sobre politica no meu blog, mas ai vai minha opinião sobre hoje!


Sou Mayara, tenho 23 anos, Enfermeira, sou nordestina e pra ser especifica sou da Paraíba, ainda não consigo acreditar em tudo que vi hoje, nos comentários que vi hoje, sabe sou nova e o que vi sobre politica aprendi em livros de historia e muita coisa muita gente me contou, até porque em outros governos eu era muito pequena para isso, tira 12 anos do PT menos minha idade dar 11 anos de diferença, então praticamente eu só conheço o mesmo desde que me entendo do gente, desde de que eu aprendi a discernir alguma coisa, reconheço que nosso pais mudou, que oportunidades bateram nossa porta, mas mostrar o Brasil que Dilma mostra no horário politico, é brincadeira. Não posso ser hipócrita dizendo que houve melhoras, mas também nosso país não anda bem! 
No meu conceito foram muitos programas sociais criados aos quais pra mim camuflam o desemprego. Seria interessante se existe um bolsa trabalho, onde as famílias seriam uteis para o governo, contribuindo para o recebendo o dinheiro que é ganho todos os meses, contribuindo trabalhando pra ser direta.
Eu não vim de família rica, e com e idade que o Lula entrou no governo meu ritmo de vida mudou, vivíamos bem, tínhamos empregada, estudava em escola tradicional, dai foi como se nossa base tivesse sido arrancada, meu pai se formou em contabilidade antes do governo PT e não deixou de se formar, só que na época dele as pessoas que entravam numa federal tinham intelecto suficiente e batalhava por isso, não como hoje em dia, que os alunos escolhem cursos pela concorrência,  não por lutar por uma vaga do curso que realmente sonham. Voltando a nossa situação, ficou difícil e minha mãe que nunca precisou trabalhar, fez um concurso e passou, meu pai sempre se virou como deu, sendo honesto, tentou ser tanta coisa, tudo na área de comercio, nem sempre obteve sucesso, mas a comida pra dentro de casa sempre veio, com o suor do trabalho, sem precisar de bolsa nada.
Com 15 anos eu comecei a trabalhar, aos 17 de carteira assinada, fiz faculdade e sou formada à 5 meses, e isso com o meu esforço próprio. 
Por onde passei aprendendo e exercendo um pouco da minha profissão, já que sou recém-formada, eu compartilho do pensamento de absurdo o governo federal liberar mais de 3 mil reais pra produtor rural quando a mesma tem um filho. (casos no interior do meu estado)
São meninas de 23 anos com 5 filhos e não conseguem uma laqueadura porque segundo a lei, só 25 anos e 2 filhos vivos e muitas quando chegam essa idade não conseguem porque é melhor pra o governo mais gente porque liberar o dinheiro para tal coisa. 
Falta de verbas para os hospitais, cade as UTIS, as UBS sem condição alguma de trabalho e o que o governo faz, "mais médicos" com a desculpa que os médicos do nosso país não querem trabalhar, ao contrario, eles querem um ambiente digno de trabalho.
Piso salarial dos profissional da saúde um caos, inclusive enfermeiro que lida diretamente com cuidado da vidas das pessoas. 
Cada dia mais meninas de 12, 13 anos casando e fazendo filhos e desistindo da educação. 
Dar tablet nas escolas não faz ninguém estudar, mas passar o dia todo em redes sociais. Na minha época era no quadro e giz de cera e eu aprendi, era a época da caligrafia que não se usa,  época que se aprendia ou aprendia, não se levava com a barriga.
Mas hoje a geração do comodismo, da preguiça tem feito muitos votos e muita revolta para aqueles que como eu não foge de um trabalho, que adora acordar cedo e lutar por aquilo que ta na conta todo mês. 
Vejo medico que saiu do lixão, funcionário de banco que foi mendigo, e porque não incentivar as pessoas a crescer, mas sim a serem preguiçosos. 
Ano passado eu estava trabalhando como vi tudo reboliço por conta de R$0,20, mas na verdade não era só por R$0,20, vi professores em protestos, vi garis, vi médicos, vi enfermeiros lutando por nossa luta esquecida das 30 hs, vi estudantes revolucionários, alias vi gente de todo tipo, pedindo a melhoria do nosso país, e eu vi também a revolta por milhões jogados fora pra fazer uma copa num país sem estrutura, vi o escândalo do mensalão, o da Petrobrás. 
Vejo a violência crescendo a cada dia, e olhe que nasci no tempo que acampar na calçada era normal e divertido, e brincava no meio da rua de bola, baleado, pega-pega, esconde-esconde, e que agora se tiver na calçada de casa és assaltada, vejo na tv traficantes dizer que o criminalidade jamais vai acabar e quem manda ali são eles, vejo crianças se envolvendo no trafico, vejo mulheres sendo mortas, e onde isso vai parar?
Vejo o preço de tudo aumentar e o salario minimo, continua minimo pra muita coisa! 
O que pode ser feito pra melhoria da nossa segurança?
Eu vi milhares de brasileiros de caras pintadas e vi também a bandeira do brasil sendo enrolada no corpo, ou ate sendo mostrada, vi muita gente gritando, "VEM PRA RUA" e foi lindo se ver. 
Vi revistas publicando noticias em fotos de brasileiros lutando como leões e votando como jumentos, mas ninguém se doeu, e hoje foi o dia que fizeram jus a foto e ainda acharam ruim aos que lembraram do acontecido. 
Hoje vi muitos que estavam lutando pelos seus direitos, os jogando no lixo, mas é a DEMOCRACIA.
Eu chamo isso de falta de compromisso consigo mesmo, eu não fiz\ parte desses 52% e jamais faria, eu não fui pra rua, mas eu queria a mudança, eu torci para isso, mas infelizmente a estrela brilhou, é nítido ver que os que foram pra rua, acham que fazendo certo e deixar as coisas como estão, mas ai me digam os próximos protestos são pra que mesmo?  
Deixem de furdunço e celebrem aquilo que lutam, levantem a bandeira do 13, mas não a do Brasil. 
Vergonha é a palavra que expressa meu sentimento, saber que meu povo não teve sabedoria, ou muitos deles necessitam do governo e votam como moeda de troca de favor, genteee voto de cabresto nesses dias? 
Não ha mais motivos para protestos, agora o dever o povo brasileiro é sentar e ver o que nossa país ira se tornar. 

Lamentável. 

Profundamente triste!